sexta-feira, 17 de outubro de 2008

BRASIL terá revanche contra Espanha por hegemonia.


Deu a lógica. Brasil e Espanha farão, de novo, uma final de Mundial. Só que tem uma grande diferença. A final será jogada no Brasil, Maracãzinho, e com um Brasil mais solidário e unido em prol de uma conquista.

A seleção comandada pelo técnico PC está jogando um futsal para vencer competição. As vezes pragmático, mas competitivo. Falcão, Lenísio e Marquinhos deixaram o show de lado para jogar um futsal objetivo. Estou gostando e por isso considero o Brasil favorito para vencer neste domingo a Espanha.

Ainda em Brasília, conversei demoradamente com Falcão que deixou claro que será uma frustração, para ele e Schumacher, os mais velhos do grupo, não conquistar este mundial. Afinal, segundo Falcão, após o jogo de domingo diante da Espanha ele não vestirá mais em jogos oficiais a camisa da seleção brasileira de futsal.

Os analistas da bola pesada comentam com cuidado a partida final diante da Espanha. Eu não. Acho que o Brasil vence o jogo e com boa margem de gols. Tomara que o público, no domingo, seja bom. Até agora foi decepcionante. Os cambistas estão com os ingressos e as arquibancadas estão vazias. Uma pena.

Do Rio de Janeiro, CARLOS HENRIQUE SIEBERT